Avaliação da ingestão aguda e crônica da polpa de manga Ubá (Mangifera indica L.) na homeostase sérica, na expressão da HSP 70 e na atividade da superóxido dismutase em ratos

Imagem de Miniatura

Data

2010-07-30

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Federal de Viçosa

Resumo

A manga (Mangifera indica L.) figura entre as frutas tropicais de maior expressão econômica nos mercados brasileiro e internacional. A variedade ubá é muito produtiva e bastante conhecida em algumas regiões do Brasil, sobretudo na Zona da Mata de Minas Gerais. Esta fruta se destaca por seu valor nutricional, sendo uma fonte rica de ácido ascórbico, carotenóides totais e compostos fenólicos, moléculas que apresentam grande potencial antioxidante no meio biológico. Estudos epidemiológicos têm mostrado evidências que antioxidantes presentes em frutas e vegetais são os principais fatores que contribuem para a baixa incidência de doenças relacionadas a processos oxidativos. Este trabalho propôs avaliar o efeito da ingestão aguda e crônica de dietas suplementadas com 3% e 10% de polpa de manga Ubá na modulação de biomarcadores do sistema antioxidante endógeno (superóxido dismutase e HSP 70) e nos marcadores bioquímicos de estresse oxidativo (enzimas aminotransferase e malondialdeído), em ratos wistar saudáveis. Os resultados obtidos demonstraram que a ingestão de dietas suplementadas com 3% e 10% de polpa de manga interferiu sobre os marcadores de injúrias, uma vez que no experimento de 24 horas os animais que receberam a dieta com 3% de polpa de manga apresentaram concentração sérica de AST menor que o controle e de GGT menor que os animais que receberam a dieta com 10% de polpa de manga. Além disso, no experimento de 25 dias os animais que receberam a dieta com 10% de manga apresentaram maior nível sérico de ALT que os animais que receberam a dieta suplementada com vitamina E. A análise do marcador de peroxidação lipídica no experimento de 25 dias demonstrou que os animais que receberam a dieta com 10% de polpa de manga xiiiUbá apresentaram concentração de malondialdeido maior que os que receberam a dieta controle e manga 3%. Os animais que receberam a dieta suplementada com 3% de polpa de manga no experimento de 24 horas apresentaram diminuição da atividade da superóxido dismutase em relação ao controle, resultado que não foi encontrado na ingestão crônica desta dieta. A expressão do gene HSP 70 não variou com as dietas suplementadas com manga e com vitamina E, porém os animais que receberam a dieta com 10% de manga no experimento de 25 dias apresentaram redução significativa na expressão dos genes HSP70 em comparação com os animais que receberam esta dieta no experimento de 24 horas. Portanto, os resultados obtidos neste trabalho indicam que os antioxidante presentes na dieta suplementada com 3 e 10% de polpa de manga Ubá ingeridos de forma aguda e crônica podem interferir sobre os mecanismos de defesa antioxidante e marcadores de injúrias hepáticos, uma vez que a menor suplementação ingerida por 24 horas diminuiu a concentração da AST e atividade da SOD hepática, enquanto que a ingestão por 25 dias de 10% de polpa de manga aumentou a peroxidação lipídica no fígado de ratos wistar saudáveis.
The mango (Mangifera indica L.) is among the tropical fruits of greater economic impact in the Brazilian and international markets. The Ubá variety is very productive and well known in some regions of Brazil, especially in the Zona da Mata de Minas Gerais. This fruit is known for its nutritional value, being a rich source of ascorbic acid, carotenoids and phenolic compounds, molecules that have great potential in biological antioxidant. Epidemiological studies have shown evidence that antioxidants present in fruits and vegetables are the main factors contributing to the low incidence of diseases related to oxidative stress. This study aimed to evaluate the effect of acute and chronic ingestion of diets supplemented with 3% and 10% mango pulp Ubá in the modulation of biomarkers of endogenous antioxidant system (superoxide dismutase and HSP 70) and biochemical markers of oxidative stress (aminotransferase enzymes and malondialdehyde) in healthy Wistar rats. The results showed that intake of diets supplemented with 3% and 10% mango pulp showed affect on markers of injuries once that in the experiment of 24 hours the animals fed diets with 3% mango pulp diets showed level of serum AST lower that control and level serum GGT lesser than the animals fed diets with 10% mango pulp. Furthermore, in the experiment of 25 days, the animals fed diets with 10% of mango had higher serum ALT that animals fed diets supplemented with vitamin E. Analysis of lipid peroxidation marker in the 25 day experiment showed that animals fed diets with 10% mango pulp Ubá showed higher malondialdehyde concentrations than those fed control diet and 3% mango. Animals receiving the diet supplemented with 3% mango pulp in the experiment of 24 hours showed decreased activity of superoxide dismutase as compared to control, a result that was not found in chronic ingestion of this diet. The HSP 70 gene expression did not change with the diets supplemented with vitamin E and mango pulp, but the animals fed diets with 10% of mango in the experiment of 25 days showed a significant reduction in the expression of HSP70 genes compared with animals received this diet in the experiment of 24 hours. Therefore, the present results indicate that the antioxidant present in the diet supplemented with 3 and 10% mango pulp Ubá ingested acutely and chronically may interfere with antioxidant defense mechanisms and markers of liver injury, since supplementation with 3 % mango pulp Ubá ingested per 24 hours decreased the concentration of AST and hepatic SOD activity, whereas the intake per 25 days of 10% mango pulp increased lipid peroxidation in the liver of healthy Wistar rats.

Descrição

Palavras-chave

Manga Ubá, Homeostase sérica, HSP70, Ubá mango, Serum homeostasis, HSP70

Citação

TOLEDO, Renata Celi Lopes. Evaluation of acute and chronic ingestion of mango pulp Uba (Mangifera indica L.) in the serum homeostasis, in the expression of HSP 70 and in the superoxide dismutase activity in rats. 2010. 93 f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica e Biologia molecular de plantas; Bioquímica e Biologia molecular animal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2010.

Avaliação

Revisão

Suplementado Por

Referenciado Por