Ciências Agrárias

URI permanente desta comunidadehttps://locus.ufv.br/handle/123456789/2

Navegar

Resultados da Pesquisa

Agora exibindo 1 - 10 de 7482
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Suplementação de ácido guanidinoacético e de lignina purificada para frangos de corte
    (Universidade Federal de Viçosa, 2024-03-21) Salgado, Hallef Rieger; Calderano, Arele Arlindo; 567416368963425
    Dois experimentos foram conduzidos com objetivo de avaliar os efeitos da suplementação de ácido guanidinoacético (AGA) e de lignina purificada no desempenho e nas respostas fisiológicas de frangos de corte criados do primeiro ao 42º dia de idade. No experimento I, distribui-se um total de 1280 pintos machos (Cobb 500®) em um delineamento inteiramente casualizado com oito tratamentos, oito repetições e vinte aves por unidade experimental. Os tratamentos basearam-se nos níveis de energia metabolizável (EM) da dieta, sendo: (2775- 2875-2975 kcal/kg; 2850-2950-3050 kcal/kg; 2925-3025-3125 kcal/kg; ou 3000-3100-3200 kcal/kg, dos 1 a 7, 8 a 21 e 22 a 42 dias de idade) e na inclusão de AGA (0 ou 600 mg/kg). O objetivo deste trabalho foi avaliar como o AGA afeta o desempenho e estimar uma equivalência em energia metabolizável (EM). Os resultados foram: 1) a suplementação de AGA aumentou o ganho de peso (GP) em frangos de corte em um nível de energia de 2908 kcal/kg e melhorou a conversão alimentar (CA) em níveis de energia de 2908 e 2983 kcal/kg; 2) observou-se uma redução linear no consumo de ração (CR) e uma melhora na CA dos frangos de corte com o aumento dos níveis de energia nas dietas, com e sem adição de AGA; e 3) foi estimada uma equivalência de AGA de 133, 103, 74 e 44 kcal/kg de ração. Concluiu-se que a suplementação de AGA melhora a eficiência de utilização de energia dos frangos de corte e que 600 mg/kg apresenta equivalência média de EM de 88,5 kcal/kg. No experimento II, distribui-se um total de 1000 pintos machos (Cobb 500®) em um delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos, dez repetições e vinte animais por unidade experimental. Os tratamentos basearam-se em um dieta à base de milho e farelo de soja, sendo: T1: Ração basal + antibiótico avilamicina a 10% (controle positivo); T2: Ração basal sem suplementação de antibiótico ou lignina purificada (controle negativo); T3: Ração basal + 0,1% de lignina purificada; T4: Ração basal + 0,2% de lignina purificada; T5: Ração Basal + 0,5% de lignina purificada. O objetivo foi avaliar a suplementação de lignina em diferentes níveis como alternativa ao uso do antibiótico avilamicina, no desempenho produtivo, rendimento de carcaça e partes (peito, coxa e sobrecoxa, e gordura abdominal), peso relativo dos órgãos linfoides (bursa de Fabricius e baço) e fígado, níveis séricos de malondialdéido (MDA) e expressão de mRNA de fator nuclear kappa B (NF- κB) e enzimas antioxidantes glutationa peroxidase (GPX) e superóxido dismutase(SOD1),em frangos de corte criados sob desafio sanitário. Para todas variáveis estudadas não foram observados efeitos significativos dos tratamentos. Concluiu-se que a suplementação de lignina purificada nos níveis de 0,1%, 0,2% e 0,5%, assim como a avilamicina 10%, não melhorou o desempenho nem as respostas antioxidantes em frangos de corte. Palavras-chave: Aditivo; Antioxidantes; Energia metabolizável
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Sensibilidade da análise foliar à acumulação de nutrientes minerais em povoamentos de eucalipto
    (Universidade Federal de Viçosa, 2023-10-25) Oliveira, Fernanda Zeidan; Neves, Júlio César Lima; 889357545393011
    A avaliação do estado nutricional de povoamentos de eucalipto, com base na análise foliar, faz parte dos programas de monitoramento nutricional, que também utilizam a análise de solo, e pode contribuir para o aprimoramento da fertilização e de seu manejo. A existência de populações de povoamentos de eucalipto com alta produtividade e acúmulo diferencial de nutrientes minerais suscita o interesse quanto à sensibilidade da análise foliar ao grau de acúmulo, maior ou menor, de nutrientes minerais. Os objetivos deste trabalho foram avaliar a sensibilidade da análise foliar, seja quanto ao grau de balanço, seja quanto ao grau de equilíbrio, em relação à acumulação do nutriente em povoamentos de eucalipto, e contribuir para o aprimoramento da diagnose nutricional dessa cultura. Foram utilizados dois bancos de dados, um para povoamentos seminais (992 povoamentos) e outro para povoamentos clonais (2087 povoamentos), contendo resultados de análise foliar para os nutrientes N, P, K, Ca e Mg, bem como resultados de inventário florestal e de conteúdo desses nutrientes na parte aérea de povoamentos de eucalipto cultivados em condições de sítio amplamente variáveis. Foram utilizados os seguintes métodos: a) a estratificação da população de alta produtividade de tronco conforme o grau de acumulação do nutriente na parte aérea das árvores, com base nos percentis 30 (30 % menores acúmulos do nutriente) e 70 (30 % maiores acúmulos do nutriente); b) no contexto da análise de envoltório, o método das linhas de fronteira para a identificação das populações com eficiências nutricionais máximas e mínimas e para a obtenção dos teores e das relações duais entre teores; c) para povoamentos clonais, as populações da linha de fronteira superior do relacionamento da produção de biomassa da parte aérea em função da idade foram estratificadas em concordantes (alta produção e alto acúmulo de nutrientes) e discordantes (alta produção e menor acúmulo de nutrientes). Em todos esses estratos populacionais, as médias de teores de N, P, K, Ca, Mg e das relações duais entre teores foram comparadas entre si com base no teste t para as médias e no teste F para as variâncias, a 5 % de probabilidade. Os resultados obtidos permitem concluir: os teores e as relações duais entre teores variam com o grau de acumulação do nutriente em povoamentos de eucalipto; há influência recíproca entre a acumulação de um nutriente sobre os teores foliares dos demais nutrientes; a análise foliar é sensível ao grau de acumulação do nutriente em árvores de eucalipto; valores de referência de teores e de relações entre teores de nutrientes devem ser obtidos em populações que harmonizam alta produtividade e baixo acúmulo de nutrientes. Palavras-chave: Eucalipto – diagnose foliar. Eucalipto – grau de balanço. Eucalipto - grau de equilíbrio. Eucalipto – linha de fronteira
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Valores de referência para avaliação do estado nutricional do paricá no estado do Pará
    (Universidade Federal de Viçosa, 2018-02-20) Oliveira, Fernanda Zeidan; Barros, Nairam Félix de; 7889357545393011
    O setor florestal brasileiro, tornou-se nos últimos anos, um dos mais relevantes no cenário global. As áreas com florestas plantadas têm se estendido e atualmente cobrem cerca de 7,8 milhões de hectares, em sua maioria com eucalipto e pinus; o restante da área é plantado com outras espécies exóticas e nativas, dentre estas o paricá, que é uma espécie florestal pertencente à família Leg-Caesalpinoideae, com ocorrência em vários estados do Brasil. No Pará, o paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex. Ducke) vem assumindo grande importância por suas características silviculturais, como sua boa adaptabilidade as diferentes condições edafoclimáticas e por ser uma alternativa regional para atender a demanda de matéria-prima florestal e recomposição de áreas degradadas. Devido seu rápido crescimento e ao bom desempenho tanto em formações puras quanto em consórcios, tem sido indicada para plantios comerciais, sistemas agro-florestais e reflorestamento de áreas degradadas. Existem diversos trabalhos que tratam da adubação da espécie em fase de mudas, no entanto, são poucas informações sobre adubação no campo. Dessa forma, é necessária a condução de pesquisas sobre as demandas nutricionais do paricá em condições de campo. Em razão da falta de informações sobre a demanda de nutrientes pelo paricá, o objetivo deste trabalho foi obter valores de referência (normas) para uso dos métodos Kenworthy e DRIS e obter os diagnósticos do estado nutricional de plantios de paricá no Nordeste e Sudeste Paraense. O trabalho foi executado em três municípios do estado do Pará, em Vigia e Ulianópolis, nordeste paraense, e em Santa Maria das Barreiras, no sudeste paraense. Foram obtidas normas para cada localidade (normas específicas) e normas para o conjunto das localidades (normas gerais), para uso no método dos índices balanceados de Kenworthy e no método do Sistema Integrado de Diagnose e Recomendação (DRIS). De modo a refinar a interpretação dos índices DRIS, foi utilizado o método de Potencial de Resposta à Adubação (PRA). Foram obtidos também os diagnósticos do estado nutricional dos plantios. Concluiu-se que as normas gerais e específicas diferiram entre si, bem como os diagnósticos, sendo de fato as normas específicas as quais deverão ser utilizadas. Os diagnósticos nutricionais demonstraram o P e Ca como os nutrientes mais limitantes por falta em Vigia, o Ca em Santa Maria das Barreiras e o Ca por excesso em Ulianópolis.
  • Imagem de Miniatura
    Item
    .Avaliação do estresse no periparto de vacas nelore de diferentes ordens de parto em pastejo
    (Universidade Federal de Viçosa, 2024-02-29) Rodrigues, Isabela Iria; Rennó, Luciana Navajas; 4159925123262773
    O período periparturiente é comumente conhecido por mudanças fisiológicas, que são desencadeadas pelo final da gestação e parto, dois eventos considerados estressores. Dados que correlacionam biomarcadores de estresse com a ordem de parto no periparto são escassos. É necessário desenvolver estudos que esclareçam o impacto do estresse doperiparto em vacas de corte em pastejo e o efeito das diferentes ordens de parto na magnitude do estresse nesse período. Portanto, o objetivo é avaliar o estresse no peripartode fêmeas Nelore em pastejo de diferentes ordens de parto. Foram utilizadas 76 fêmeas Nelore gestantes, 38 primíparas e 38 pluríparas, oriundas de três estudos desenvolvidos em três anos. Considerando o dia 0 como dia do parto, amostras de sangue foram coletadas das vacas nos dias -7, 0, 7 e 14, para análise das concentrações de cortisol, glicose, ceruloplasmina, haptoglobina, ácidos graxos não esterificados (AGNE), proteínas totais e albumina. As globulinas foram calculadas pela diferença entre proteínastotais e albumina. A concentração sérica de cortisol diferiu entre as ordens de parto (P = 0,041) e dias relativos ao parto (P < 0,0001), sendo superior para as primíparas em relação as pluríparas. Houve interação entre ordens de parto e os dias relativos ao parto para a glicose e ceruloplasmina sanguíneas (P=0,017; P=0,005, respectivamente). Nos dias -7 e0, os dois biomarcadores foram superiores em primíparas. A concentração de haptoglobina não apresentou efeito de ordem de parto, dias relativos ao parto ou interação(P ≥ 0,176). Houve interação ordem de parto e dias relativos ao parto para AGNE (P=0,022), sendo que as concentrações no dia 7 foram superiores para as primíparas (P=0,001). Para as proteínas totais e globulinas obtiveram interação significativa entre ordem de parto e dias relativos ao parto(P=0,014; P=0,049, respectivamente). No dia 0 e no dia 7, as pluríparas apresentaram concentrações mais elevadas (P = 0,004) para proteínas totais e nos dias -7, dia 0 e no dia 7 (P≤0,049) as pluríparas foram superiores para em relação as globulinas. Houve interação significativa entre as ordens de parto e os dias relativos ao parto para albumina (P=0,028), porém, o desmembramento da interaçãonão revelou diferenças entre as ordens de parto (P≥0,114). As primíparas apresentam maiores concentrações de cortisol, glicose, ceruloplasmina e ácidos graxos não esterificados, e as pluríparas maiores concentrações de proteína total e globulinas. Embora as pluríparas também experimentem alterações fisiológicas, primíparas manifestam em maior intensidade os efeitos negativos provocados pelo estresse no periparto. Palavras Chaves: Cortisol; Parto; Pluríparas; Primíparas; Proteínas de fase aguda
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Avaliação da viabilidade do uso do resíduo siderúrgico sílica ativa como bloqueador de fosfato em solos de clima tropical
    (Universidade Federal de Viçosa, 2020-10-26) Rochebois, Gaston Benatti; Francelino, Márcio Rocha; 6260916085410042
    O processo industrial do minério de ferro produz um enorme volume de resíduos siderúrgicos, entre os quais se encontra a sílica ativa, a qual é coletada pelos filtros localizados nas chaminés de escape dos gases efluentes dos fornos. Trata-se de uma variedade amorfa de sílica, formada, exatamente quando ocorre a elevação da temperatura do forno, fazendo com que o silício, passe para o estado gasoso, e, ao passar pelos filtros, resfria-se e volta ao estado sólido, porém com sua estrutura inicial modificada. A relação entre a mineração de ferro e a produção do silício metálico, está na produção maciça de ligas metálicas (ferro silício) destinadas à produção de aço com maior dureza. A sílica ativa pode apresentar potencial agrícola, a partir da possibilidade de redução das quantidades aplicadas de adubação fosfatada, em se confirmando a adsorção por parte desse elemento pelas partículas de solo, deixando mais fosfato livre para as plantas. Espera-se que com a aplicação da sílica ativa no solo, o silício (Si) desta, faça a competição com o fosfato pelos sítios de adsorção nas partículas de argila, deixando o fósforo (P) livre na solução do solo e mais disponível para a absorção pelas plantas. O objetivo deste trabalho foi realizar a caracterização físico-química do resíduo siderúrgico e avaliar a eficiência da interação do silício (Sílica ativa) com o solo, agindo como bloqueador da adsorção do fosfato. Também foram quantificados os teores de silício na forma de SiO2 e fósforo na forma P2O5 no solo onde o resíduo foi aplicado, obtendo-se como resultado maiores teores de fósforo remanescente (P rem) e consequente redução da capacidade máxima de adsorção do fósforo (CMAP) nos solos que receberam a aplicação de sílica ativa. Foram realizadas análise de retenção de água; pelo método das câmaras de Richards; análise da área superficial específica da sílica ativa (BET Analises); análise mineralógica por difratometria de raios X a fim de determinar a estrutura da substância (sílica ativa) pelo processo da lâmina escavada; imagem da estrutura da sílica ativa por microscopia eletrônica de varredura aplicada à mineralogia de solos, com a finalidade relacioná-la à composição da substância em análise. Os solos receberam a aplicação do resíduo nas doses equivalentes a 0, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11 toneladas por hectare (t.ha-1), bem como passaram por períodos diferentes de retenção 15, 30 e 45 dias. Foram feitas as análises químicas de rotina para verificar a condição original dos solos e, estes também passaram por análise granulométrica. Foram realizadas três repetições para cada tratamento e, feitas análises em seus diferentes tratamentos para cada tempo de retenção verificando a disponibilidade de fósforo no solo através das análises de fósforo remanescente e Mehlich 1 (fósforo disponível). Palavras-Chave: Adsorção do fosfato. Bloqueador da adsorção. Sílica ativa
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Dinâmica de liberação do nitrogênio da ureia de eficiência melhorada
    (Universidade Federal de Viçosa, 2017-12-17) Nuvunga, Stélio Boaventura Paulino; Cantarutti, Reinaldo Bertola; 7409127598521468
    A ureia é atualmente a principal fonte de N para as culturas, no entanto, apresenta menor eficiência agronômica, sobretudo nas adubações de cobertura, devido a volatilização da NH3. A incorporação e o parcelamento das aplicações da ureia são as principais estratégias de manejo para reduzir a volatilização de NH3, no entanto, ambas estratégias requerem custos adicionais. O revestimento da ureia com polímeros é uma estratégia industrial para reduzir a volatilização de NH3 já usada a bastante tempo, porém, a maioria dos polímeros usados no revestimento da ureia foram recentemente interditados devido a difícil decomposição no solo, daí a necessidade de se procurar alternativas como o acetato de celulose, visto que é um polímero de baixo custo e biodegradável já amplamente utilizado. Dos diversos inibidores, o NBPT é o de maior importância na agricultura, todavia, tem baixa estabilidade nas condições do solo, o que limita a sua eficácia, daí a necessidade de se melhorar a sua eficiência combinando-o com polímeros. A compactação e britagem da ureia em grânulos também está sendo proposta como alternativa para melhorar a sua eficiência. Este trabalho constitui-se em dois capítulos com dois objetivos: (i) caracterizar a dinâmica de volatilização da NH3 de ureia tratada com polímeros da linha KimcoatN® e com acetato de celulose combinado ou não com NBPT e uma nova linha de fertilizantes à base de ureia prensada e (ii) avaliar a dinâmica de liberação de N da ureia tratada com polímeros da linha KimcoatN® e a nova linha de ureia prensada por meio do N recuperado pela Urochloa brizantha. Para o primeiro capítulo a NH3 volatilizada foi avaliada em laboratório, utilizando um sistema de câmaras de volatilização conectadas à unidades de captura de NH3 com solução de H3BO3 20 g/L e quantificada indiretamente por titulação potenciométrica. Entre os fertilizantes da linha Kincoat, o KNX proporcionou uma volatilização menor, com a redução de 56 % na quantidade total de NH 3 volatilizada em relação à ureia, enquanto que a UAcC proporcionou a redução de 18 % e aumentou a eficácia do NBPT em 21 %. Entre os fertilizantes da linha compactada a Uc33 proporcionou maior redução de 73 % na quantidade total de NH3 volatilizada. No segundo capítulo o experimento foi realizado em casa de vegetação quantificando o N acumulado por plantas de Urochloa brizantha e o N acumulado foi determinado pelo método Kejeldhal e dosado indiretamente por titulação colorimétrica com solução de HCl 50 mmol/L. Entre os fertilizantes da linha Kincoat não houve diferença em relação ao N acumulado, enquanto que entre os fertilizantes da linha compactada a Uc33 apresentou maior quantidades de N acumulado e em média os fertilizantes dessa linha apresentaram maior quantidades de N acumulado do que os da linha Kincoat
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Influência da atividade de aves marinhas sobre metais pesados nos solos da Antártica
    (Universidade Federal de Viçosa, 2020-04-30) Castro, Marllon Fialho; Oliveira, Teogenes Senna de; 0459217025944994
    Aves marinhas da Antártica alteram as propriedades químicas, físicas e biológicas dos solos onde nidificam, caracterizando-os como ornitogênicos, sendo comum apresentarem elevados teores de P, matéria orgânica e, possivelmente, metais pesados. Objetivou avaliar a influência da atividade de aves marinhas no enriquecimento de metais pesados em diferentes solos da Antártica. Amostras de solos com diferentes propriedades foram coletadas nas ilhas da Antártica Marítima e na Península Antártica, selecionando solos com e sem influência de diferentes espécies de aves marinhas. Determinaram-se os teores de C, N e de metais pesados (Ba, Co, Cr, Cu, Fe, Hg, Mn, Ni, Pb, Sr e Zn) em frações da matéria orgânica e no solo. Os resultados foram avaliados por estatística descritiva, análises de componentes principais e correlação e fatores de enriquecimento biogênico. Os resultados indicaram que os solos ornitogênicos e as frações da matéria orgânica apresentaram teores muito superiores de C e N comparativamente aos não ornitogênicos. Dentre as aves marinhas, os pinguins foram as que mais alteraram as características dos solos estudados, aumentando consideravelmente os teores de C e N no solo. O enriquecimento de metais pesados pelas aves marinhas está relacionado aos hábitos alimentares e comportamentais, além da geoquímica local. Observou-se que as aves marinhas podem enriquecer as diferentes frações da matéria orgânica do solo com Cr, Cu, Hg, Pb e Zn. A atividade antrópica parece ter contribuído de forma indireta para o aumento de Hg e Pb no guano das aves marinhas e, consequentemente, nos solos que essas aves ocupam. O enriquecimento de Cr, Cu e Zn nos solos ornitogênicos provavelmente está relacionado a processos naturais, sem relação com a atividade antrópica. Os demais metais pesados estudados (Ba, Co, Cr, Fe, Mn, Ni e Sr) tiveram a sua dinâmica nos solos da Antártica associados principalmente ao material de origem. Palavras-chave: Solos ornitogênicos. Elementos traço. Contaminação do solo. Biotransporte. Cadeia trófica
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Balanço nutricional e matéria orgânica do solo em plantios de eucalipto com diferentes fertilizações em solo arenoso de cerrado
    (Universidade Federal de Viçosa, 2020-02-19) Cardoso, Maria da Costa; Silva, Ivo Ribeiro da; 5722840019560726
    O entendimento de como o manejo das florestas (fertilização e resíduos da colheita) afetam a produtividade, matéria orgânica do solo e balanço de nutrientes ao longo do tempo é importante para que se realizem cultivos mais sustentáveis e produtivos. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a resposta em produtividade, eficiência de uso de nutrientes, estoque de nutrientes e seus efeitos na matéria orgânica do solo em plantio de eucalipto de segunda rotação em manejo de reforma e condução, com a permanência do resíduo da colheita e diferentes níveis de fertilização mineral, em solo arenoso do Cerrado. O estudo foi realizado no município de Três Lagoas – MS, onde foram instalados dois experimentos em área colhida pelo módulo Harvester e Forwarder, no qual o resíduo da colheita é deixado no talhão. Após a colheita, os resíduos foram deixados nos talhões e espalhados sobre a superfície do solo. Toda a área onde foram instalados os dois experimentos de Reforma e Condução, respectivamente, receberam 28,29 e 28,56 Mg ha-1 de resíduo da colheita da rotação anterior. Na sequência a área de plantio foi dividida em duas, caracterizando cada um dos experimentos. O experimento 1 consistiu de plantio submetido ao manejo de Reforma, enquanto no experimento 2 foi realizada a condução das brotações. Os experimentos foram instalados em delineamento em blocos casualizados, com três repetições e três níveis de adubação. Assim, os tratamentos consistiram em parcelas sem adubação, adubação de reposição e adubação potencial, totalizando 9 unidades experimentais. As unidades experimentais dos experimentos corresponderam a parcelas com 150 árvores de eucalipto, em espaçamento 3,6 x 2,4 m, aproximadamente. A área total da parcela, correspondeu a 1290 m², as quais possuíam uma parcela útil formada pelas 48 árvores centrais e bordadura de 6 plantas entre as parcelas. As doses referentes aos níveis de adubação foram calculadas por meio do software NUTRICALC®, visando uma produtividade de 40 m³ ha-¹ ano-¹ de madeira para a adubação de reposição e 60 m³ ha-¹ ano-¹ de madeira para adubação potencial. A avaliação dos experimentos foi realizada nas camadas 0-10, 10-20, 20-40 e 40-60 cm do solo e material vegetal da cubagem das árvores (folhas, galhos, casca e lenho) coletado aos 60 meses após o plantio das mudas. Além disso, o litterfall foi coletado mensalmente ao longo de três anos (2016-2018) e realizando o inventário contínuo nos experimentos referentes as idades de 17, 34, 43 e 57 meses dos povoamentos de eucalipto para obtenção da curva de produtividade da floresta. Foi realizada análise química para obtenção dos teores dos macronutrientes (N, P, K, Ca, Mg e S) no solo, nos compartimentos da árvore e no litter. Para obtenção dos teores dos macronutrientes nas árvores foram abatidas uma árvore média por parcela e os componentes da parte aérea das árvores foram pesados em campo e subamostras direcionadas para o laboratório para posterior análise. Os tratamentos foram avaliados e comparados por meio da Produtividade da floresta, Deposição de litterfall, Massa de matéria seca, Conteúdo de nutrientes na planta, Estoque dos macronutrientes no solo, Coeficiente de utilização biológica (CUB), Taxa de recuperação aparente dos nutrientes, Acúmulo e demanda dos nutrientes na planta e Balanço de nutrientes. Os dados foram submetidos a análise das pressuposições da estatística paramétrica pelos testes de Kolmogorov – Smirnov e Bartlett referentes a normalidade e homogeneidade de variância, respectivamente. Posteriormente foram submetidos à análise de variância (ANOVA), e teste F ao nível de 10 % de probabilidade, enquanto as médias foram comparadas pelo teste Tukey a 10 % de probabilidade utilizando o software-se R®. Os resíduos de colheita (casca, folhas, galhos e raízes), o litter, e o litterfal são componentes importantes para o suprimento de nutrientes, particularmente quando não se aplicam corretivos e fertilizantes, e suportam produtividades satisfatórias de eucalipto mesmo em solos arenosos de baixa fertilidade. A omissão da adubação em sítio com solo arenoso em que foram mantidos todos os resíduos de colheita leva a maior perda de produtividade nos plantios conduzidos do que naqueles reformados. A adubação de reposição com fertilizantes e corretivos tomando como base o balanço de nutrientes e uma produtividade realista para o clone e sítio otimiza a produtividade, melhora a taxa de recuperação de nutrientes aplicados, embora não necessariamente aumente os CUB’s para a maioria dos nutrientes, particularmente nos plantios manejados sob condução. A manutenção dos resíduos de colheita e a adubação de reposição com base no balanço de nutrientes há favorecimento da manutenção de frações mais estáveis da MOS (MAM), enquanto nos plantios não adubados a formação da MAM é comprometida pela dificuldade de decomposição da MOP. Palavras-chave: Fertilização florestal, resíduos da colheita do eucalipto, produtividade do eucalipto, C na MAM
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Biocondicionamento ex-situ do solo e rejeito do ambiente afetado pelo rompimento da barragem de Fundão - Mariana/MG
    (Universidade Federal de Viçosa, 2018-03-05) Paula, Juliana Boechat de Souza; Schaefer, Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud; http://lattes.cnpq.br/1088137659938691
    O rompimento da barragem de Fundão em Mariana/MG acarretou o mais grave desastre socioambiental brasileiro. O evento alcançou não só os ecossistemas da bacia hidrográfica do rio Doce, mas toda a população que nele vive e de alguma forma, faz uso do rio. Todo caos resultante levantou uma série de questionamentos, relacionados à possível nocividade dos elementos químicos presentes no solo e água, à saúde vegetal e animal, as quais ainda não estão suficientemente esclarecidas devido à heterogeneidade e complexidade do desastre. Dados já descritos demonstram que a presença desses elementos podem não ser advindos diretamente da lama de rejeito, contudo a proporção e volume lançados provavelmente revolveu e suspendeu sedimentos pré-existentes, que continham elementos químicos nocivos no leito dos rios. Dentre a enorme gama de problemas gerados e suas repercussões, esta pesquisa visa discutir o trabalho exercido pelas minhocas na remodelagem física e química dos solos do trecho atingido pela deposição de sedimentos. A passagem do rejeito dizimou a biodiversidade presente em diversos níveis ecossistêmicos do rio e planícies adjacentes, soterrando quilômetros de áreas produtivas, que em poucos minutos foram recobertas por uma camada densa de material de espessura variável, dificultando sua recuperação e manutenção das cadeias tróficas e ciclos hídricos. Realizou-se experimento com técnicas de modificação edáfica, avaliando os efeitos da toxicidade do material e o condicionamento do rejeito coletado em ilhas de refluxo no rio Doce, próximos a Usina Hidrelétrica Risoleta Neves, misturados ou não aos solos da região, visando a avaliação de um possível novo ambiente edáfico menos nocivo à vida, com o uso do biocondicionamento realizado pelas minhocas. Um bioensaio crônico foi realizado para avaliar o comportamento das minhocas e quantificar a capacidade de alterar as características físicas, químicas e biológicas dos sedimentos em diferentes proporções de rejeito. O desenho experimental foi composto de 15 aquários de vidro, montados e monitorados durante 12 semanas. As amostras de solo e rejeito utilizadas para as avaliações foram coletadas no município de Rio Doce. Como bioindicadora da qualidade dos solos atingidos pelo rejeito, foi utilizada nos testes a minhoca Pontoscolex corethrurus (Müller, 1857), por ser uma espécie nativa, de ampla distribuição geográfica (pantropical), e endogeica (hábitos alimentares geófagos). Os resultados do presente estudo demonstraram efeitos benéficos no acréscimo de C e N em coprólitos, alterações em parâmetros de fertilidade e composição química através de processos realizados pela mistura de matéria orgânica e minhocas aos substratos. Foram encontrados elevados teores de Fe, Al e Mn no rejeito e contaminações de Cr no solo e Cd no solo e rejeito. Foi verificado que o rejeito é extremamente deficiente em atributos de fertilidade e parâmetros físicos, que foram alterados com os tratamentos. O fator de bioacumulação relativo ao tecido das minhocas revelou que doses crescentes de rejeito acumulam metais, sendo representativos para Fe, Mn, Al, Zn, Ni, Cu, Co, Ba, Cr, V. Para o Pb a maior bioacumulação foi verificada nas unidades experimentais contendo solo, sem rejeito. O fator de bioacumulação nos coprólitos revelou tendência de concentração com o acréscimo de rejeito para Fe, Mn, Al, Ni, Cu, Co, Ba, Cr, V e Pb
  • Imagem de Miniatura
    Item
    Solos e geoambientes da porção norte de Harmony Point, ilha Nelson, Antártica Marítima
    (Universidade Federal de Viçosa, 2020-10-27) Sacramento, Iorrana Figueiredo; Schaefer, Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud; 7495406785813539
    Na Antártica, a pedogênese ocorre em diferentes graus conforme a região, com os solos da Antártica Marítima sendo os mais desenvolvidos devido a uma série de fatores, como temperaturas mais amenas, maior umidade e significativa presença da vegetação e avifauna. Harmony Point, na ilha Nelson, é considerada uma Área Especialmente Protegida da Antártica, devido à sua relevância em termos de diversidade vegetal e de aves, os quais têm tido grande influência na formação dos solos. Assim, esta pesquisa pretendeu analisar o grau da influência ornitogênica na evolução dos solos da porção norte de Harmony Point, com ênfase na relação solo-organismos-paisagem. A coleta dos 24 perfis de solos foi realizada durante o verão austral de 2018-2019. Foi realizada a descrição da vegetação e das geoformas locais. A classificação dos solos foi feita com base na Soil Taxonomy e World Reference Base for Soil Resources. Os mapeamentos geomorfológico, pedológico e da vegetação foram feitos utilizando técnicas de geoprocessamento. As características físicas e químicas dos solos foram obtidas através do Laboratório de Rotina de Fertilidade do Solo (UFV-MG). As amostras de solos foram selecionadas para a caracterização mineralógica, utilizando Difratometria de Raio-X, e para a quantificação do Fe e Al pedogênicos. A semiquitificação de alguns elementos químicos foi obtida pela Microfluorescência de Raio-X e o teor de P total foi obtido por digestão ácida. A datação do radiocarbono foi realizada por Espectrometria de Massas com Aceleradores. Os solos com padrões foram a geoforma mais abrangente (13%). A unidade de mapeamento de solo mais ampla (12%) foi “Ornithogenic”/Typic Gelorthent. Os carpetes e tufos altos de musgos foram a classe de vegetação mais extensa (7%). A classe dos Inceptisols nos afloramentos rochosos apresentou maior grau de desenvolvimento pedogenético, com perfis profundos, elevados teores de acidez e de carbono orgânico, minerais secundários de fosfatos e complexos organometálicos, devido aos processos de acúmulo de matéria orgânica e fosfatização. O perfil 7, localizado em afloramento rochoso (56 m de altitude), apresentou idade de radiocarbono superior a 4.000 anos AP, devido ao maior tempo de exposição e prolongada influência dos organismos na pedogênese. Os solos da plataforma de crioplanação se destacaram pelo alto conteúdo de cascalho em superfície e de argila e silte em profundidade, causados pela crioturbação, e pela presença de minerais silicatados primários e secundários. Os solos dos terraços marinhos se destacaram pelos elevados teores de areia e saturação por bases, comuns em ambiente marinho, maior P disponível, devido à influência ornitogênica atual, e predominância de minerais fosfáticos amorfos. Estas características destacaram a importância dos organismos enquanto fator diferenciador dos solos em Harmony Point, e do tempo em promover estabilização da paisagem e desenvolvimento pedogenético. Com este estudo foram apresentadas evidências do intemperismo químico em solos na Antártica Marítima, intensificado pela influência ornitogênica. Assim, Harmony Point, enquanto uma área protegida da Antártica, é um exemplo da importância em se compreender como as relações entre os organismos e os geoambientes são relevantes para o conhecimento de vários ciclos geoquímicos e da dinâmica climática, tanto a nível regional quanto global. Palavras-chave: Pedogênese. Ornitogênese. Fosfatização. Crioturbação